domingo, 24 de maio de 2015

NO PARÁ, ESTUDANTE QUE VENDIA BOMBONS EM ÔNIBUS SE GRADUA EM MEDICINA




Jessé Soares, 25, (foto) nasceu em Limoeiro do Ajuru, cidade localizada no nordeste do Pará, perto da ilha do Marajó. Ele conta que passou mais da metade dos seus 25 anos no município, completando o ensino médio graças ao esforço da mãe, agente comunitária de saúde, e do pai, carpinteiro. Como outros ribeirinhos, Soares aprendeu a pescar, colocar armadilhas no rio para capturar camarões, subir no açaizeiro, e as técnicas da marcenaria para produzir móveis e utilitários.
Sua primeira aprovação no ensino superior foi no curso de licenciatura em física, mas a pontuação obtida pelo então calouro garantiria vagas em cursos mais concorridos, foi daí que ele decidiu, em 2009, tentar cursar medicina.
O jovem foi aprovado e se mudou para um quitinete no bairro do Guamá, em Belém. No mesmo ano, a namorada dos tempos de cursinho ficou grávida da primeira filha do casal. Com isso, aumentaram os gastos, e o jovem precisou completar a renda vendendo bombons por R$ 0,50 nos coletivos da capital.
Porém, o tempo que o jovem gastava nos coletivos limitava as horas disponíveis para o estudo. Para conseguir se graduar, Jessé fez uma campanha nas redes sociais em 2013, arrecadando dinheiro suficiente para se manter até o final do curso.
“Foram vários momentos em que batia uma angústia de querer estudar e não ter condições, mas sempre vinha um sentimento de que, quando eu terminasse, as coisas seriam melhores. E estão melhorando”, comemora.
Segundo Soares, sua dificuldade serviu de motivação para garantir o futuro das filhas Ewelyn e Ana Clara. “Eu vou investir na educação delas, para que não aconteça com elas o que aconteça comigo. A minha história é legal porque terminou bem, mas não desejo o que eu passei para ninguém. Espero que elas tenham uma vida mais fácil“, disse.
Jessé concluiu o curso de medicina da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e conseguiu registro profissional na última quarta-feira, 20, agora trabalha no hospital de Limoeiro do Ajuru, onde espera para receber seu primeiro salário como médico.

Fonte: Hilton Batista -  G1 Pará
Leia Mais ►

SALA DO EMPREENDEDOR, EM FARO-PA, FOI INAUGURADA NA QUINTA, 21.



Sr. Paulo Melo (Consultor do SEBRAE), sr. José Roberto (Agente de Desenvolvimento) e Prefeita sra. Marinete Machado.
Evento contou com a presença da prefeita, Marinete Machado e do Consultor do SEBRAE da Regional de Santarém-PA , Fernando Melo

Um importante projeto para o desenvolvimento econômico e social da cidade de Faro, a Sala do Empreendedor localiza-se no mesmo prédio que abriga a Secretaria de Assistência Social e Cidadania, sito à rua São João Batista, s/n, no centro da cidade, e foi inaugurada na quinta feira, 21..

Com a presença da prefeita Marinete Machado, a inauguração ocorreu às 10 horas. Com objetivo de implementar ações para simplificação e desburocratização, a sala pretende ser um local que sirva como fonte de informações para Empreendedores Individuais, e onde estes possam também efetuar sua inscrição nesta categoria.

A implantação do projeto Sala do Empreendedor no Município de Faro foi possível devido à união e parceria de entidades como a Associação Comercial, Prefeitura Municipal e SEBRAE – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Pará.

Ao fazer uso da palavra, a prefeita ressaltou a importância de fortalecer o comércio local, hoje um tanto quanto desprestigiado em função do grande número de farenses que preferem efetuar suas compras na vizinha cidade de Nhamundá-AM.  Um dos fatores da ocorrência desse fato seria, sem dúvida, a ausência de uma agência bancária na sede do município de Faro. Com a presença do Banpará no município a partir de junho, essa situação tende a ser minimizada.

A cerimônia contou, ainda, com a presença do sr. Fernando Melo, consultor do SEBRAE da Regional de Santarém-PA  (que foi enfático ao destacar os benefícios oriundos da implantação da sala), dos secretários de Assistência Social, Deuziane Farias, Meio Ambiente, Luis Rodrigues, assessor parlamentar, Jorge Anibal e microempreendedores locais.

O Agente de Desenvolvimento, e encarregado pela Sala do Empreendedor do Sebrae, em Faro, é José Roberto Gomes Sarmento que, participa durante a semana de 25 a 29 de maio de Curso Avançado para Agentes de Desenvolvimento, promovido pelo SEBRAE em Belém-PA.




Fonte/Fotos: z fioravante – ASCOM PM Faro-PA - <amazôni@contece>/z fioravante


Leia Mais ►

NÃO MATE QUEM SÓ TE AJUDA!


Leia Mais ►

CELPA NO MERCADO



- por Lúcio Flávio Pinto (*)

Em fevereiro deste ano a Celpa valia 5,2 bilhões de reais. Seu valor de mercado agora em maio passou para R$ 6,7 bilhões. Em fevereiro o Fundo de Investimento em Participações iniciou o leilão de 10% dos seus papeis na Bolsa de Valores de São Paulo a R$ 25,50 cada ação. Finalizou a transação, arrecadando R$ 520 milhões, a R$ 26,50.
No último dia 20, cada ação começou o pregão cotada a R$ 32 e o encerrou a R$ 33,91. O Banco PT Pactual, que controla o fundo, obteve R$ 670 milhões por outros 10% do controle acionário da concessionária estadual, cujo maior acionista, através da Equatorial Energia, passou a ser a Squadra, a mais antiga das acionistas, na empresa desde 2008, quando a dona era a Rede Engenharia. O FIP era o principal acionista (com 22% do seu capital) da Equatorial, que, por sua vez, tem 96% das ações das Celpa.
As duas operações na bolsa foram consideradas um sucesso. Em primeiro lugar, pela contínua valorização dos papeis da Celpa, que chegou a 56% em 12 meses. Também porque fundos nacionais e estrangeiros compraram ações nos leilões, naturalmente convencidos de estar fazendo um bom negócio. E tudo indica que foi.
A Celpa foi privatizada em 1988. A Rede Energia a arrematou por R$ 504 milhões, sendo R$ 388 milhões em dinheiro e R$ 116 em dívidas da antiga estatal paraense. A vizinha Cemar, concessionária de energia do Maranhão, foi vendida por R$ 447 milhões, dos quais R$ 289 milhões em dinheiro e R$ 158 milhões em assunção da dívida existente.
Em 2012 a Equatorial assumiu o controle da Celpa por um real, valor simbólico necessário para que a operação não fosse gratuita. Mas ficou com a dívida, que era calculada em R$ 2 bilhões, mas chegou a R$ 3,5 bilhões. A Equatorial conseguira recuperar a vizinha Cemar, que estava sujeita a ser reestatizada por seu péssimo desempenho depois da privatização, que a tornara a pior empresa do setor elétrico.
Os números apurados pela Comissão de Valores Imobiliários e apresentados no leilão levaram aos bons resultados. A Celpa faturou quase 100 milhões de reais no primeiro trimestre deste ano contra R$ 70 milhões em igual período de 2014. Depois de um prejuízo de R$ 30 milhões no exercício anterior, lucro de R$ 35 milhões nos primeiros três meses de 2015. A empresa investiu mais e quitou suas dívidas dessa fase.
A volta da Celpa ao mercado de capitais com boa imagem é uma vitória da administração da Equatorial, que substituiu imediatamente o BTG Pactual. Significa que a empresa já pode responder muito melhor às demandas e queixas da maltratada população do Pará. Depois dos acionistas e investidores, é a vez do cliente e do cidadão, Tomara que seja assim.


 (*) Lúcio Flávio Pinto - Jornalista profissional desde 1966. Percorreu as redações de algumas das principais publicações da imprensa brasileira. Durante 18 anos foi repórter em O Estado de S. Paulo. Em 1988 deixou a grande imprensa. Dedicou-se ao Jornal Pessoal, newsletter quinzenal que escreve sozinho desde 1987, baseada em Belém
No jornalismo, recebeu quatro prêmios Esso e dois Fenaj, da Federação Nacional dos Jornalistas. Por seu trabalho em defesa da verdade e contra as injustiças sociais, recebeu em Roma, em 1997, o prêmio Colombe d’oro per La Pace e, em 2005, o prêmio anual do CPJ (Comittee for Jornalists Protection), de Nova York.
Leia Mais ►

FAÇA COMO O LUAN - COLABORE VOCÊ TAMBÉM!


Leia Mais ►

NO PARÁ, A PARALISAÇÃO DOS PROFESSORES CONTINUA




Há dois meses longe das salas de aula, uma certeza: a greve dos professores continua. Na manhã de sexta feira, 22, na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Deodoro de Mendonça, localizada na avenida Governador José Malcher, ocorreu mais uma assembleia para deliberar as ações da categoria, e decidiram por manter a paralisação. Na próxima segunda-feira, os educadores programaram um ato em frente ao Ministério Público do Estado e a próxima assembleia geral vai acontecer no dia 27.
Professores de diferentes localidades defenderam as posições adotadas nas próximas semanas. “Não há ilegalidade na greve. O governo descontou dos salários dos professores. Claro que falta muito para melhorar. Uma parte dos professores já voltou. Está muito dividido. Não dá para sair da greve e mostrar estratégias. Ele (governo) não está de cara boa para o movimento. Estão fazendo o jogo que eles querem”, diz o professor de história, Jorge Goes, 43 anos.
Em Outeiro, o professor Washington Azevedo, 42 anos, relata que as instituições de ensino estão paradas em função do sucateamento. “Onde eu trabalho era um antigo motel que foi adaptado para escola. As salas são quentes. Essa situação de descaso, de retirar os direitos trabalhistas, me fortalece a continuar na greve”, frisa.
Na quinta-feira, 21, a coordenação Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Pará (Sinteep) foi ao Ministério Público Estadual (MPE) protocolar representação contra a Secretaria de Administração (Sead) e a Secretaria de Educação (Seduc), junto à Promotoria de Justiça dos Direitos Constitucionais Fundamentais e dos Direitos Humanos.
O sindicato pede providências ao MPE para cobrar do governo os descontos nos contracheques dos professores. Para a categoria, a decisão judicial do governo fere o direito constitucional de greve e afeta pedagógica e qualitativamente o processo de ensino dos alunos.

Fonte/Foto: Díário do Pará/Bruno Carachesti
Leia Mais ►

MANAUS DEVE RECEBER EDIÇÃO DO UFC NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016, DIZ PREFEITURA


Para o Prefeito, o interesse do UFC consolida Manaus como polo de grandes eventos no Brasil

Reunião entre Artur Neto e Lorenzo Fertitta, CEO do UFC, aconteceu em Las Vegas, na véspera da luta Weidman x Belfort. De acordo com o CEO, existem inúmeras possibilidades para a capital amazonense receber lutas casadas, na Arena da Amazônia ou Arena Amadeu Teixeira
A cúpula diretora do Ultimate Fighting Championship (UFC) deu sinal verde para que Manaus receba um evento no primeiro semestre de 2016. Quem confirmou que a logística começará a ser montada foi o CEO da organização, Lorenzo Fertitta, que na noite desta sexta-feira (22) teve uma reunião de duas horas de duração com o prefeito Arthur Virgílio Neto. O encontro aconteceu na sede da Zuffa, detentora do UFC, em Las Vegas, nos Estados Unidos.
O presidente do UFC no Brasil, Giovani Decker, que também participou da reunião, repassará o caderno de encargos e exigências à Prefeitura de Manaus e à empresa de marketing 9ine dentro de 30 dias. Todos os custos ficarão a cargo da 9ine, representada na reunião pelo diretor de atletas da empresa, Marco Serralheiro, e não haverá recursos públicos envolvidos na operação.
Para o prefeito Arthur Neto, o interesse do UFC consolida Manaus como polo de grandes eventos no Brasil, uma vez que já recebeu a Copa do Mundo, será sede nas Olimpíadas e começa a se preparar para realizar o UFC. As tratativas com o UFC e a 9ine começaram no início deste ano, em São Paulo e esta reunião, em Las Vegas, não poderia ser anunciada com antecedência em virtude de cláusulas de sigilo entre as empresas e a prefeitura.
"Manaus mostra que está cada vez mais apta e reconhecida por todo o mundo. Diretores do UFC já haviam ido ao Amazonas antes da Copa do Mundo, mas agora é um momento diferente. Já temos experiência em grandes eventos e o sinal verde foi dado. É importante dizer que não teremos dinheiro público envolvido nisso, pois  é a 9ine que está levando o evento. Eles estão apostando em Manaus. Vamos dar apenas o suporte logístico da cidade", explicou o prefeito.
O executivo do UFC, Ike Lawrence, afirmou que existem duas datas disponíveis no primeiro semestre de 2016. Estes detalhes serão divulgados em reuniões futuras.
Lutas
De acordo com o CEO do UFC, Lorenzo Fertitta, existem inúmeras possibilidades para Manaus em termos de local do evento e lutas casadas. Tudo vai depender da atuação dos lutadores nos próximos eventos e de uma nova visita da cúpula diretora à cidade, que ainda será marcada pelo presidente no Brasil, Giovani Decker.
"Temos sete lutadores de Manaus ou ligados ao Estado lutando no UFC. Estou muito empolgado com esta negociação. Finalmente parece que vamos aterrissar por lá. Quem sabe não marcamos o evento para a Arena da Amazônia com estrelas como José Aldo ou Ronaldo Jacaré? A logística é grande, mas estamos dispostos a encarar junto com a 9ine e a prefeitura. Um dos pontos a ser estudado diz respeito à iluminação. Já sabemos que chove muito, então precisamos estudar bastante o local e o ginásio que fica ao lado, a Arena Amadeu Teixeira", afirmou Fertitta.
Também participaram da reunião, além do prefeito, de Lorenzo Fertitta, do presidente do UFC no Brasil e do representante da 9ine, o chefe da Casa Civil, Márcio Noronha, e o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula. O ex-jogador Ronaldo, um dos sócios da 9ine, também participou de um dos encontros em Las Vegas.
"Estamos apostando que Manaus nos credenciará a levar outros eventos gigantescos", assinalou Marco Serralheiro. "Já está começando a dar certo", completou Ronaldo.

Fonte/Foto: A Critica, com informações da Semcom/Divulgação
Leia Mais ►