domingo, 26 de março de 2017

ARTIGO DEDOMINGO: A MORTE DO JORNALISMO



- por Lúcio Flávio Pinto (*)

O jornalismo acabou na grande imprensa do Pará.
O Repórter 70, na edição de hoje de O Liberal, dedica quase metade do seu espaço, em seis notas sucessivas, para responder ao editorial de ontem do Diário do Pará. Em apenas uma das notas há alguma preocupação com os fatos e o leitor. Todo resto é uma algaravia de ataques e ofensas aos Barbalhos.
A atual celeuma se originou numa nota da principal coluna do jornal dos Maioranas. Ela dizia que o gerente comercial do Diário procurara o prefeito Zenaldo Coutinho, ou algum dos seus assessores. Cobrou que a prefeitura reservasse, para aplicar em publicidade no jornal, 10% da verba, de 27 milhões de reais, liberada pelo ministro Helder Barbalho, da Integração Nacional, junto com o pai, o senador Jader Barbalho, ambos do PMDB.
O dinheiro foi destinado à recuperação da proteção à orla das praias de Mosqueiro. A prefeitura o aplicará sem precisar fazer contrapartida. Dinheiro sem volta, a fundo perdido.
O Diário reagiu, ontem, dizendo que a história era mentirosa. Anunciou que iria imediatamente processar O Liberal na justiça com ações cíveis e criminais.
Ao invés de apontar fatos e ouvir fontes identificáveis, a partir do próprio prefeito, O Liberal se defende apenas atacando o concorrente e seus donos, que recriaram em Belém uma réplica feroz, grosseira e rústica da rivalidade de Montecchio e Capuletto, imortalizada por Shakespeare em Romeu e Julieta. A versão paraense é ultrajante.
Na única das seis notas aproveitáveis, diz o Repórter 70:
“Esta coluna, que revelou a informação, acredita em sua veracidade, porque veraz é a fonte que a transmitiu. Daí ser resível, ridículo e despropositado ver o papelucho de mentiras diárias dos Barbalhos dizer que a informação é falsa. Que moral têm eles para negar as barbalhices que propagam, já que são ícones da corrupção? Está aí Jader Barbalho, esse provecto espertalhão, cada vez mais esperto e metido em todos os esquemas de corrupção, como Banpará, Sudam e agora Lava Jato, na qual está sendo investigado”.
O jornal pode atacar como quiser seus inimigos, respondendo pelo que dizem deles. Mas ao tratar de matéria de interesse público, seu primeiro compromisso é com a veracidade dos fatos. Se o Pará ainda estivesse afeito ao significado dos fatos, o jornal deveria ter ouvido o prefeito. Zenaldo podia confirmar a história, desmenti-la ou se omitir. Mas teria que ser procurado e teria que ser obrigado a fazer qualquer declaração.
Se não quisessem dar aos seus inimigos mortais o direito de resposta, ouvindo o personagem citado, o gerente comercial Nilton Lobato, os Maioranas também poderiam procurar os tais assessores para um off detalhado: o dia do encontro, sua duração, o teor da conversa e, talvez, até, uma gravação clandestina.
Afinal, em plena época de caça aos corruptos e de defesa dos cofres públicos, um ministro  do governo federal estaria dando oportunidade à prática de extorsão a partir de recursos do erário, em proveito de uma empresa da qual é sócio. Se verdadeira a nota de O Liberal, Helder Barbalho teria que pedir demissão ou ser demitido do cargo que ocupa.
Até agora, nada indica que a informação tenha procedência. A não ser que o prefeito Zenaldo Coutinho seja a fonte secreta de O Liberal, usando o jornal para “plantar” a informação. Se for assim, o prefeito tem que ser chamado à ordem para esclarecer esse fato, que, se verdadeiro, é muito grave.
Como O Liberal preferiu lançar flechas envenenadas na direção dos inimigos, ao invés de esclarecer a opinião pública, incorpora a carapuça de sempre, que partilha com o Diário: de mentir descaradamente para a população e se lixar para o jornalismo. Não há limites para esse ultraje.
Falta apenas mandar rezar o réquiem para que a alma penada dos dois principais grupos de comunicação do Pará tenham uma boa morte. Ao proceder de forma tão leviana e arrogante, eles se suicidam como instituições que mereçam respeito e credibilidade.



(*) Lúcio Flávio Pinto é jornalista profissional desde 1966. Percorreu as redações de algumas das principais publicações da imprensa brasileira. Durante 18 anos foi repórter em O Estado de S. Paulo. Em 1988 deixou a grande imprensa. Dedicou-se ao Jornal Pessoal, newsletter quinzenal que escreve sozinho desde 1987, baseada em Belém.
No jornalismo, recebeu quatro prêmios Esso e dois Fenaj, da Federação Nacional dos Jornalistas. Por seu trabalho em defesa da verdade e contra as injustiças sociais, recebeu em Roma, em 1997, o prêmio Colombe d’oro per La Pace e, em 2005, o prêmio anual do CPJ (Comittee for Jornalists Protection), de Nova York.

sábado, 25 de março de 2017

REPACTUAÇÃO DO PROGRAMA TERRITÓRIOS SUSTENTÁVEIS FOI ASSINADA ONTEM, SEXTA FEIRA 24, EM FARO-PA




O programa Território Sustentáveis, atuante em Faro, Terra Santa e Oriximiná, municípios do oeste do Pará, tem financiamento da Mineração Rio do Norte e é executado por três Organizações Sociais de Interesse Público (OSCIPs), com experiência reconhecida nas áreas de meio ambiente, economia, gestão pública e fortalecimento da sociedade: Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam), Agenda Pública e Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

Representantes dessas entidades envolvidas estiveram em Faro na manhã desta sexta feira, 24, para assinar a repactuação (pactuar novamente) do programa, que foi criado em 2015, e que agora se estende até o ano de 2020.

Pelo lado da Prefeitura Municipal de Faro, assinou o documento a prefeita Jade Abreu; pela MRN, o seu presidente, Silvano Andrade. O documento também recebeu o aval da ECAM, Agenda Pública e Imazon, por meio de seus representantes no evento.

O programa tem duração total prevista de 15 anos e atua em quatro pilares: gestão pública, capital social, desenvolvimento econômico e gestão ambiental.

Apresentações de grupo de dança de carimbó, quadrilhas juninas e uma exibição dos alunos do projeto de música instrumental, que aconteceu nesta semana e é parte do Circuito Cultural promovido pela MRN, marcaram a manhã desse dia importante para o município de Faro.












Fonte/Fotos: z fioravante, Ascom PM Faro-PA

PREFEITO DE SANTARÉM-PA ASSINA DECRETO “PARA ACABAR DE VEZ” COM NEPOTISMO




A íntegra do decreto assinado pelo prefeito seria disponibilizado ontem  no site da prefeitura
Nélio Aguiar assina decreto “para acabar de vez” com nepotismo em Santarém, CIAM - Assinatura Documento sobre nepotismo (3)Nélio Aguiar assinou ontem o decreto da contraofensiva ao nepotismo municipal
A assinatura ocorreu quinta-feira, 23.
O decreto, pautado na súmula vinculante nº 13, é uma atualização do anterior (decreto de 2014) “que estava em linguagem de difícil compreensão”, segundo o Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Santarém.
“Vamos corrigir e acabar de vez com essa prática [do nepotismo]”, explicou Nélio.
“Desta forma, a sociedade pode ver a nossa seriedade, o nosso compromisso com Santarém. Fizemos um juramento no momento da posse, de respeitar as leis, respeitar a constituição federal, a nossa lei orgânica, então temos que fazer isso. Vivemos um novo momento político. É um momento de transformação e isso tem que ser pra melhor”.
O artigo 7º do decreto dispõe sobre a obrigatoriedade de apresentação de “Declaração de Relação de Parentesco” antes da posse para o exercício de cargo provimento em comissão.
“A prefeitura esclarece que todos os casos denunciados formalmente serão apurados pela Procuradoria Geral do Município, e, se confirmado o nepotismo, as medidas necessárias serão adotadas pelo poder público”, escreveu Karla Lima no primeiro release sobre o tema desde que assumiu o cargo em janeiro deste ano.
O decreto seria publicado ontem, no site da Prefeitura de Santarém.

Fonte/Foto: z fioravante, com informações da Prefeitura de Santarém/Núcleo de Comunicação

NOTA DE REPÚDIO E SOLIDARIEDADE A JESO CARNEIRO




A Associação dos Blogueiros do Oeste do Pará (Abop) vem a público repudiar o ato de violência perpetrado contra o blogueiro associado e jornalista Jeso Carneiro, editor do Blog do Jeso. Crime ocorrido na madrugada desta quinta-feira, 23.
O atentado contra patrimônio de Jeso Carneiro representa o único objetivo de intimidar o blogueiro, que tem denunciado e publicado notícias sobre assuntos como nepotismo e licitações com suspeitas de fraudes em vários municípios do oeste paraense.
O veículo de sua propriedade, de uso familiar e para o trabalho, sofreu um ato de vandalismo.
O vândalo despejou selante de asfalto sobre o capuz do veículo, causando-lhe prejuízos materiais. O blogueiro já registrou o Boletim de Ocorrência na 16ª Seccional de Polícia Civil.
Jeso Carneiro já foi alvo de outros atentados. Teve seu carro incendiado na garagem de sua casa e, em 2008, sua residência foi incendiada por bandidos que até hoje não foram presos.
A Abop presta solidariedade ao blogueiro associado e cobra das autoridades policiais agilidade e empenho na busca pelos responsáveis.
Hodiernamente, blogueiros de Santarém têm sido alvos de uma perseguição criminosa, baixa e nociva, realizada por uma quadrilha que se esconde atrás do anonimato possibilitado pela internet.
Todas as ofensas, injúrias, calúnias, difamações, entre outros crimes que estão sendo cometidos por essa quadrilha, já estão nas mãos das autoridades competentes que já iniciaram as investigações. É um ato repudiado pela Abop.

Alailson Muniz
Presidente da Abop

PREFEITAS PARAENSES JADE ABREU E ADRIANE BENTES, SÃO DESTAQUE NA CONQUISTA DE MULHERES NA POLÍTICA DA AMAZÔNIA



Durante grande parte da História do Brasil, as mulheres não tiveram participação na política, pois a elas eram negados os principais direitos políticos como, por exemplo, votar e se candidatar. Somente em 1932, durante o governo de Getúlio Vargas, as mulheres conquistaram o direito do voto. Também puderam se candidatar a cargos políticos. Nas eleições de 1933, a doutora Carlota Pereira de Queirós foi eleita, tornando-se a primeira mulher deputada federal brasileira.
As mulheres da Amazônia estão ganhando espaço no cenário político, dando brilhantes exemplos dessa conquista feminina.




JADE ABREU, EXEMPLO DE MULHER E GESTORA MUNICIPAL
A prefeita Jade Abreu é um grande exemplo de mulher na política: foi eleita como prefeita da pequena cidade de Faro no estado do Pará, e com sua simpatia e carater, conquistou a confiança e o carinho do povo. Jade já está mostrando a força feminina, dando uma lição para muitos prefeitos que já passaram pelo seu município e outros municípios da região. Em apenas 60 dias de trabalho, a simpática gestora realizou muitas ações relevantes, e foi até manchete no maior jornal do país, o Estadão. O jornal mostrou a gestora, seguindo o exemplo do paulista João Doria, participando de um mutirão de limpeza após a posse. Hoje a cidade de Faro é um exemplo, com as ruas, praias e praças limpas; uma cidade, que antes era vista como cidade fantasma, graças ao talento e graciosidade dessa mulher, hoje o povo voltou a sorrir e passou a acreditar no futuro.




ADRIANE BENTES, A MAIS JOVEM PREFEITA DO PARÁ
A vitória da prefeita Adriane Bentes, de Almeirim, foi uma das maiores em todo estado do Pará. Ela conquistou a eleição, concorrendo com outra candidata que teve junto o apoio do prefeito e do governador. Adriane Bentes, além de bonita, é muito simpática, fazendo jus ao perfil de mulher graciosa e virtuosa. Sua tática de governo tem mudado a vida da população de Almeirim, resolvendo as questões do município de forma descomplicada e com muita disposição e eficiência.
Adriane Bentes, a mais Jovem prefeita do estado Pará, tem 29 anos, formada em administração, faz referência e da exemplo como “Mulher Forte da Amazônia”. Representa a classe feminina que luta pelos pelo espaço digno na sociedade. No dia oito de março, dia Internacional da mulher, ela se uniu às mulheres de Almeirim para comemorar a data com uma super programação, todas vestindo blusa rosa e caminhando na cidade. Um marco de conquista para a Mulher dos dias atuais.

Fonte/Fotos: Revista Via Amazônia
 

Blogroll

About