terça-feira, 22 de janeiro de 2019

UMA GOTA DE POESIA NA BOCA DA NOITE..."MEUS OITO ANOS"

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!
Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!
Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minhã irmã!
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus
— Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!

- Casimiro de Abreu



FIEPA RECEBE DIRETOR DA ANEEL PARA FALAR SOBRE A TARIFA DE ENERGIA NO PARÁ


O encontro visa discutir o modelo da cobrança tarifária e também dar esclarecimentos sobre o setor elétrico
Nesta quinta-feira, dia 24, a Federação das Indústrias do Pará – FIEPA e o Centro das Indústrias do Pará – CIP promoverão um encontro para discutir de que forma o Pará pode ter tarifas de energia elétrica mais baratas. Para falar sobre o assunto, foi convidado o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, Rodrigo Limp, que deverá responder a esse questionamento e também explicar como funciona o modelo tarifário nacional. O evento será restrito para convidados e imprensa. Tudo ocorrerá no Auditório Albano Franco, no prédio da FIEPA, a partir das 8h.
Assuntos como o fato do Pará ser um Estado gerador de energia e não ter qualquer benefício sobre a tarifa, as possíveis soluções para equacionar o custo elevado das tarifas, o impacto das perdas e o grande índice de inadimplência, e as ações que a ANEEL vem adotando para revisar o modelo setorial estarão na pauta do encontro. Ainda serão tratadas questões a respeito da extinção de subsídios e desoneração da Conta de Desenvolvimento Energético – CDE, iniciativas que reduziriam significativamente a tarifa no Pará.
Para o presidente do Sistema FIEPA, José Conrado Santos, o encontro é um momento importante para esclarecer o porquê da tarifa. “A tarifa não é bem aceita pela sociedade, então esse é o momento de olharmos a composição do custo final para compreendermos melhor a situação. A gente entende a posição do governo do Pará, que diz ser quase impossível baixar o imposto no estado, porque é um dos tributos mais pontuais de sustentação da receita do Pará, mas existe ainda uma discussão nacional que será esclarecida nesse encontro”, pondera.
CENÁRIO – Quem define o valor de todas as tarifas de energia elétrica do Brasil é a ANEEL, levando em conta fatores como: os custos de geração e transmissão da energia, além dos encargos setoriais. No ano passado, por exemplo, a ANEEL homologou um reajuste total de 11,75% para a Celpa.
Atualmente, de uma conta de R$ 100, apenas R$ 22,42 é o valor que fica efetivamente com a Celpa para operar, manter e expandir o sistema. Os cerca de 78% restante diz respeito aos custos com a compra de energia, encargos setoriais, transmissão e tributos, que não são gerenciados pela concessionária. No caso dos encargos e tributos, a Celpa atua apenas como agente arrecadador.
Os Encargos Setoriais são valores cobrados por determinação legal para o desenvolvimento do setor elétrico e para as políticas energéticas do Governo Federal, como o Programa Luz para Todos e para suprir o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica. O encargo também é destinado a fomentar projetos de Pesquisa e Desenvolvimento e de Eficiência Energética.

Fonte: Ascom FIEPA


ACONTECEU! ENFERMEIRO DE NHAMUNDÁ-AM SALVA VIDA DE CRIANÇA QUE ENGOLIU CHAVE DE ABRIR LATA DE CONSERVA


O enfermeiro Nill Armstrong que trabalha no Hospital Coronel Pedro Macedo, no município de Nhamundá (375 Km de distância da capital Manaus) se tornou o centro das atenções da cidade após salvar uma criança da morte. A criança que o enfermeiro socorreu tinha ingerido uma chave de abrir lata de carne em conserva.
O raio X feito pela equipe de urgência e emergência do hospital, mostra claramente que o objeto ingerido obstruiu as passagens de suas vias aéreas. O enfermeiro de forma sagaz, conseguiu retirar o objeto de dentro da criança, salvando sua vida.
Parabéns ao enfermeiro Nill !!!

Fonte/Foto: http://observatoriomanaus.com


PRA QUEM AINDA NÃO ENTENDEU COMO FUNCIONA A MERITOCRACIA AÍ ESTÁ, E DESENHADO...


PIORES DO RANKING: CAMETÁ, BRAGANÇA E ANANINDEUA SÃO OS MUNICÍPIOS QUE MENOS INVESTEM EM SAÚDE NO BRASIL, DIZ CFM


Levantamento divulgado ontem (21) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) revela que cerca de 2.800 municípios brasileiros gastaram menos de R$ 403,37 na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. A análise mostra que esse foi o valor médio aplicado por gestores municipais com recursos próprios em Ações e Serviços Públicos de Saúde declaradas no Sistema de Informações sobre os Orçamentos Públicos em Saúde (Siops).
De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior. Em 2017, nas cidades com menos de 5 mil habitantes, as prefeituras gastaram em média R$ 779,21 na saúde de cada cidadão – quase o dobro da média nacional identificada.
Os municípios das regiões Sul e Sudeste foram os que apresentaram maior participação no financiamento do gasto público em saúde – consequência, segundo o CFM, de sua maior capacidade de arrecadação.
Ranking nacional
Com apenas 839 habitantes, o município de Borá (SP) lidera o ranking de gastos per capita na saúde, com R$ 2.971,92 gastos em 2017. Em segundo lugar aparece Serra da Saudade (MG), cujas despesas em ações e serviços de saúde alcançaram R$ 2.764,19 por pessoa.
Na outra ponta, entre os que tiveram menor desempenho na aplicação de recursos, estão três cidades de médio e grande porte, todas situadas no estado do Pará: Cametá (R$ 67,54), Bragança (R$ 71,21) e Ananindeua (R$ 76,83).
Entre as capitais, Campo Grande assume a primeira posição, com gasto anual de R$ 686,56 por habitante. Em segundo e terceiro lugares estão São Paulo e Teresina, onde a gestão local desembolsou, respectivamente, R$ 656,91 e R$ 590,71 por habitante em 2017.
Já as capitais com menor desempenho são Macapá, com R$ 156,67; Rio Branco, com R$ 214,36; Salvador e Belém, ambas com valores próximos de R$ 245 por pessoa.
A lista completa de municípios que participaram do levantamento pode ser acessada aqui.

Fonte/Foto: Agência Brasil

FORÇA NACIONAL DEVE REFORÇAR A SEGURANÇA PÚBLICA NO PARÁ A PARTIR DE MARÇO


O governador Helder Barbalho disse ontem que muito provavelmente em março a Força Nacional de Segurança estará desembarcando no Pará para reforçar a segurança pública no Estado. Um oficial da Força despachou com Helder na sexta-feira (18) e o planejamento estratégico e operacional já está pronto.
“Mantive 4 contatos com o ministro da Justiça Sérgio Moro, presencialmente e por telefone, reforçando as nossas necessidades. Em razão dos graves problemas de segurança no Ceará a Força Nacional está com um baixo efetivo, mas a possibilidade de que o Pará receba esse efetivo é grande a partir de março”, disse Helder durante entrevista ao programa “Balanço Geral PA” da TV Record, no início da tarde de ontem.
O governador ressaltou na entrevista que não se pode acreditar que a Força Nacional resolverá todos os problemas da insegurança no Estado. “Estamos fazendo todo o possível, nas mais diversas áreas, para solucionar esse grave problema, envolvendo o pedido da Força Nacional e o aumento do efetivo dos agentes de segurança nas ruas”.
GUARDAS
Na semana passada Helder se reuniu com representantes de 31 municípios que possuem guardas municipais e fez uma proposta para que os 5 mil homens que atuam nessas corporações se unam ao efetivo policial do Estado para auxiliar na segurança. “Em contrapartida daremos incentivos ficais a esses municípios para que os guardas municipais se integrem aos nossos agentes para reforçar o trabalho”.
O governador disse que desde o seu primeiro dia de governo está fazendo um enfrentamento diário para mudar a triste realidade da segurança pública do Estado. Ele relembrou que assim que assumiu o cargo desencadeou a operação “Gênesis” que reforçou as regiões mais violentas do Estado com 400 policiais.
Helder também divulgou na entrevista o número de mortes intencionais (assassinatos) nos três primeiros finais de semana deste ano comparando com o mesmo período dos últimos 4 anos. Em 2015 foram 95 assassinatos; 114 em 2016; 153 em 2017; e 146 em 2018. Este ano o número baixou para 84 assassinatos. A média semanal (incluindo o final e semana) foi de 113 assassinatos em 2015; 121 em 2016; 105 em 2017; e 133 em 2018. Agora em 2019 as ocorrências caíram
para 94 mortes.
“Continuamos perdendo vidas e coloquei para o ministro Moro todas as nossas dificuldades no que se refere à escassez de mão de obra. Deveríamos ter pelo menos 30 mil policiais militares, mas hoje temos apenas 16 mil. Ainda assim em pouco tempo estamos conseguindo reduzir a criminalidade em nosso Estado”, destaca Helder.

Fonte/Foto: Luiz Flávio |Diário do Pará/Ricardo Amanajás


CAPRICHOSO ABRE TEMPORADA COM “1º RUFAR DO TAMBOR” NA PRAÇA DOS BOIS, EM PARINTINS-AM


Em busca do tricampeonato, o Boi Caprichoso inicia no dia 26 de janeiro, a temporada 2019 com um grande show na Praça dos Bois, denominado “1º Rufar do Tambor” com a participação de itens oficiais e a Marujada de Guerra. O palco para a grande festa azulado começou a ser montado no domingo, 20 de janeiro.
Segundo a diretoria do bumbá, o primeiro ensaio oficial do bumbá será marcado por mais um ano pela entrega do Troféu ‘Marupiara’. O prêmio de reconhecimento é dado pelo Conselho de Artes, aos itens individuais e artistas campeões (nota 10) nas três noites do festival 2018 (ano do bicampeonato).
Para a disputa 2019, além do 1º Rufar do Tambor, a participação da nação azul e branca pela internet está sendo importante na escolha das coreografias apresentadas pelos grupos de dançarinos do Corpo de Dança CDC e Troup Caprichoso. A diretoria azulada também se prepara para as gravações em sete cidades dos Clips para o DVD do espetáculo “Um Canto de Esperança para a Mátria Brasilis”, segundo o presidente Babá Tupinambá, a Rainha do Folclore, Cleise Simas  será a primeira a realizar a gravação no dia 28 de janeiro na cidade do Maranhão, região nordeste do país.
Outras novidades apresentadas pela diretoria é a parceria do Conselho de Arte com o fotógrafo Widger Frota  na criação de três livros documentários, relatando as apresentações dos projetos do boi de arena referente aos anos de 2017, 2018 e 2019. A cantora parintinense, Paula Gomes dará voz a toada “Meu Deus é Maria”, além da participação do intérprete de samba-enredo da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis, do Rio de Janeiro, Neguinho da Beija-Flor, na toada “Armadura de Fé”, em homenagem à São Jorge.
“Estamos unidos e mais focados do que nunca por esse tricampeonato. É meu último ano como presidente do boi, mas não vamos deixar a peteca cair. Estamos com a mesma garra, força, como no nosso primeiro ano”, destacou o presidente Babá Tupinambá.



Fonte/Foto: Kedson Silva, O Jornal da Ilha, com informações da Assessoria Caprichoso/Assessoria Caprichoso

 

Blogroll

About