sábado, 23 de junho de 2018

ENFEITE PARA A COPA DO MUNDO, EM TEMPO DE CRISE...

Foto: Redes sociais

ENQUANTO ISSO, EM FARO-PA...

Foto: Pati Cunha

ARTIGO: MINHAS COPAS - 1998


Em 1997 os tigres asiáticos se transformaram em gatinhos e no ano seguinte a crise na Rússia se alastrou e quase colocou o plano Real a pique. O governo segurou a moeda sobrevalorizada até as eleições, quando FHC se reelegeu no primeiro turno. Iniciava-se o ciclo de presidentes reeleitos. Talvez, uma péssima ideia para o Brasil. O segundo mandato do tucano foi muito pior que o primeiro.
Nesse ano, o presidente tornou-se um político mais solitário. Em um curto espaço de tempo, perdera dois amigos e aliados muito próximos: Sergio Motta, o Serjão, então ministro das Comunicações, seu braço direito no Executivo, e Luis Eduardo Magalhães, líder do governo no Congresso. Dizia-se que o baiano chegaria à presidência, era um potencial candidato na eleição de 2002. Sedentário, sofreu um impacto fulminante. Seu pai, ACM nunca mais foi o mesmo. Nem FHC.
A Copa da França contava com o Brasil na lista de super favoritos. O time era forte. Durante o periodo de preparação, já em solo europeu, Romário foi cortado. Muito comentado na época que a decisão havia sido tomada por Zico, com quem o baixinho não se dava bem. Supostamente contundido, o herói de 94 jogou pelada no Rio nas semanas seguintes. Um ataque com Romário e Ronaldo, por meia hora já causaria grande estrago aos adversários. Eu manteria o baixinho mesmo à meia bomba. Cortá-lo às vésperas da Copa foi um erro colossal.
Outra estupidez foi manter Bebeto, já na descendência, como titular e deixar Edmundo, melhor jogador brasileiro naquele ano, no banco. Incompreensível. De qualquer maneira, o time do velho Lobo Zagalo era consistente: Taffarel, Cafu, Aldair, Junior Baiano, Roberto Carlos, César Sampaio, Dunga, Leonardo e Rivaldo, Bebeto e Romário. Denison, Giovani e Edmundo eram reservas de luxo.


Começamos com uma vitória tranquila sobre a Escócia (2×1), seguida de um 3×0 em Marrocos. Já classificados em primeiro do grupo, o time sofreu um apagão enquanto vencia por 1×0 e em 3 minutos sofreu a virada da Noruega (1×2), resultado que permitiu aos nórdicos se classificarem em segundo e eliminou a seleção de Marrocos, que até então avançava às Oitavas.
Nessa fase, o Brasil venceu bem o Chile (4×1) e depois a Dinanarca (3×2) nas quartas. Na semifinal, outro encontro com a Holanda, que tantas boas lembranças nos trazia da Copa anterior. Foi o melhor duelo da competição. O Brasil inaugurou o placar com Ronaldo, mas sofreu o empate ainda no primeiro tempo. Após um intenso ‘toma lá, dá cá’ até o final da prorrogação (à época ainda valia o gol de ouro), fomos para decisão de pênaltis. Brilharam a estrela de Taffarel e o entusiasmo do velho Lobo, incansável no estímulo aos atletas antes das cobranças. O treinador brasileiro era pura emoção.
A final seria contra a anfitriã, a França do maestro Zinedine Zidane, que começara a competição sem convencer, quase foi eliminada pelo Paraguai nas oitavas, derrotou a Itália nos pênaltis depois de um 0x0 modorrento e despachou a Croácia na semifinal por 2×1. O Brasil chegava ao último jogo com melhores credenciais. Após o êxito contra os holandeses, eu considerava o título uma barbada. Foi um erro de avaliação, o pico de adrenalina chegou antes do tempo.


Na véspera do jogo, Ronaldo teve uma convulsão. Foi levado às pressas para o hospital e se juntou ao grupo no vestiário, um pouco antes do início da partida. Edmundo apareceu na lista de titulares e o mundo não entendeu nada. O episódio com o Fenômeno até então estava restrito ao time. A versão oficial diz que Ronaldo disse que estava bem e queria jogar. Zagalo então voltou atrás de sua decisão de começar com Edmundo e colocou o Fenômeno desde o início. Nem ele, nem o resto do time entraram em campo naquele dia e Zidane liquidou a fatura com dois gols de cabeça no primeiro tempo. Nos acréscimos da etapa final, o 3×0 consagraria os ‘blues’, em seu primeiro título mundial. Consolidava-se ali uma freguesia que dura até hoje. Em outras duas ocasiões decisivas, a França derrotaria o Brasil: na final Copa das Confederações do ano seguinte e nas quartas de final da Copa de 2006.
As teorias da conspiração proliferaram após o inusitado; o Brasil teria vendido a Copa para a França, por intermédio da Nike. Balela. Foi apenas um jogo de um time só. Em um dia bom, o Brasil venceria. A hegemonia seria reconquistada quatro anos depois.


O mundo assistia à sina de Bill Clinton, que lutava para manter-se no cargo. Sob acusação de perjúrio e obstrução de justiça, ele foi à berlinda no segundo processo de impeachment da história americana e acabou absolvido pelo senado em fevereiro do ano seguinte, mas suas estripulias no salão oval da Casa Branca foram tornadas públicas para o mundo, para alegría dos tablóides de fofoca. Uma humilhação planetária.

Desabou um edifício na Barra da Tijuca. Isso mesmo, desabou. O edifício The Palace II foi construído com material de segunda e falhas de engenharia, um retrato brasileiro.
Na TV, Ratinho e Gilberto Barros bombavam, era o apogeu da baixaria. Suzana Alves, a tiazinha do Programa do Huck pré-Globo, povoava o universo masculino em trajes mínimos. Paradoxalmente, o cantor do ano era o Padre pop Marcelo Rossi, que atraía multidões com suas missas musicais.



Eu já tinha completado um quarto de século, estava formado e pós-graduado e ascendia na carreira. Ainda não sabia, mas aquela seria a minha última Copa solteiro. As transformações na vida em quatro anos ainda eram radicais. Iria demorar para que as mudanças fossem mais sutis…

Fonte/Fotos: O post Minhas Copas: 1998 apareceu primeiro em Blog do Victor

sexta-feira, 22 de junho de 2018

EM FARO-PA “O MAIOR SÃO JOÃO DA REGIÃO” ENTRA NA RETA FINAL: CONFIRA A PARTE RELIGIOSA E SOCIAL DESTA SEXTA FEIRA, 22


HOJE, SEXTA FEIRA 22:
PARTE RELIGIOSA
19:30 horas – 8ª Novena e missa – Noite da Família e dos Joãos, dedicada às famílias residentes e ausentes; Terço dos Homens, Conselho Paroquial e Econômico, Pastoral do Dízimo, devotos de São João Batista e visitantes.
Tema: “A Luz da Fé a Verdadeira Oração, Pai Nosso”
Noiteiros/Responsáveis pela Santa Missa: Filhos de Faro residentes em outras cidades, comunidade Nossa Senhora das Graças (Maracanã) e comunidade Nossa Senhora de Fátima (Ubim)
Pregador: Pe. Edeilson (Juruti-PA)
PARTE SOCIAL
No salão paroquial acontece a Festa dos Casais e Visitantes, ao som de Geane Neves, Maestro Delivar, Maestro Zezinho do Sax, Dio & Uma Porrada de Rítmos e Serepe Show (* a confirmar)
No arraiá da festa, concursos e muita diversão.





DOMINGO, 24: BINGÃO COM MUITOS PRÊMIOS VALIOSOS, E R$ 17.000,00 (DEZESSETE MIL REAIS NA SÉTIMA BATIDA!


Fonte/Fotos: z fioravante, ASCOM PM Faro-PA/z fioravante e Arquivo AA

quinta-feira, 21 de junho de 2018

INTRINCADAS ESCULTURAS FEITAS DE BAMBU RECICLADO SÃO IMPRESSIONANTES


Varinhas de bambu entrelaçadas. Esse é o material utilizado para a criação das esculturas impressionantes que vamos compartilhar com você. E sabe o mais legal? As peças são criadas a partir de hastes que já foram utilizadas anteriormente — muitas delas inclusive na composição de esculturas anteriores.
Tramas recicladas
De acordo com Kate Sierzputowski, do site Colossal, as esculturas foram criadas pela artista japonesa Tanabe Chikuunsai IV, que vem de uma família de artesãos acostumados a trabalhar com bambu. Mas, além de ter bastante intimidade com esse material, Tanabe se formou em escultura pela Universidade de Artes de Tóquio e concluiu diversos cursos para desenvolver e aperfeiçoar a sua técnica.
Segundo Kate, a artista explicou que os aspectos mais importantes em seu trabalho são técnica, tradição, habilidade e espírito, e ela sempre se esforça para conciliar esses pontos. Para criar as esculturas, Tanabe precisa trabalhar o bambu e, para isso, ela umedece as varas para torná-las mais flexíveis e poder criar as belas curvas que suas peças apresentam.
Veja alguns exemplos:




Fonte/Fotos: Megacurioso

PABLLO VITTAR, GLOBAIS DO BIG BROTHER E DO VÍDEO SHOW CONFIRMADOS NO FESTIVAL DE PARINTINS 2018


O cantor Pabllo Vitar, um grupo de artistas da Rede Globo de Televisão do programa Big Brother, uma equipe do programa Vídeo Show, além de vários blogueiros de renome nacional e internacional estão na lista de celebridades que confirmaram presença nas três noites de realização do 53º Festival Folclórico de Parintins.
A informação é da secretária municipal de Cultura, Turismo e Meio Ambiente de Parintins (Semctur), Karla Viana, ao Repórter Parintins. De acordo com Karla, os artistas e jornalistas famosos virão como convidados especiais para assistir o espetáculo de Caprichoso e Garantido, e divulgar o evento para o mundo.
O Festival Folclórico de Parintins acontece nos dias 29 e 30 de junho e 1º de julho.

Fonte/Foto: Marcondes Maciel | Repórter Parintins/Divulgação
 

Blogroll

About