sexta-feira, 19 de outubro de 2018

UFOPA ABRE SINDICÂNCIA PARA APURAR CASO DE ESTUDANTE DENUNCIADO POR COMENTÁRIO RACISTA


A universidade deu início a um processo de apuração dos fatos. Em outro caso, dois outros alunos da instituição foram punidos por racismo institucional.
Após a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra um aluno da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) que fez um comentário racista na página oficial da instituição em uma rede social, a universidade deu início a um processo de apuração dos fatos. O caso ocorreu durante um ritual indígena de recepção aos calouros indígenas e quilombolas, em Santarém, no oeste do Pará.
O comentário racista do estudante de bacharelado em ciências econômicas Francisco Albertino Ribeiro dos Santos, foi feito durante uma transmissão ao vivo no dia 11 de maio de 2018. O crime de racismo é imprescritível e inafiançável. De acordo com a lei 7.716/1989, artigo 20, é prevista a pena de dois a cinco anos de prisão e multa.
Em nota, a Ufopa disse que apoia a investigação e a denúncia do MPF, pois tem implementado políticas de ações afirmativas e de promoção de igualdade étnico-racial, visto que há um grande contingente de indígenas e quilombolas na região. A reitoria da Ufopa está cuidando diretamente do caso e seguirá todas as orientações do MPF, para que sejam tomadas as devidas providências institucionais e administrativas, de acordo com o regimento interno da universidade.
Racismo institucional
De acordo com a nota, em outro caso, também neste ano, a universidade determinou a primeira punição por racismo institucional. Dois alunos que tiveram condutas racistas em um grupo privado de troca de mensagens foram punidos com 60 dias letivos de suspensão. O caso foi acompanhado de perto pela reitoria da Ufopa e a punição foi estabelecida com base em parecer jurídico emitido pela Procuradoria da Universidade.
Atualmente, a instituição possui 737 alunos de graduação ingressantes por meio dos processos seletivos especiais, sendo 487 indígenas e 250 quilombolas, e mantém diversas políticas de ações afirmativas voltadas para dar apoio acadêmico, financeiro e psicológico a esses estudantes.

Fonte/Foto: G1 Santarém PA/Silvia Vieira

DESTAQUES EM EXPOSIÇÃO NO LOUVRE, FOTOGRAFIAS RETRATAM MODO DE VIDA RIBEIRINHA DE SANTARÉM-PA


Fotografias são do Lago do Maicá e de pescadores no Lago do Juá, em Santarém. Exposição no carrossel do Louvre encerrará no dia 21 de outubro.
Duas fotografias que retratam o modo de vida de ribeirinhos em Santarém, no oeste do Pará, estão em exposição até o dia 21 de outubro no carrossel do Museu do Louvre, em Paris. Os registros da paisagem do Lago do Maicá e de pescadores no Lago do Juá são do fotógrafo paraense Celso Lobo.
Os registros foram capturados durante sessões que Celso fez na região em 2017 e 2018. “Eu estava passeando de lancha no Lago do Maicá para fazer umas fotos, e essa foi uma das que gostei. Já a fotografia do Lago do Juá, eu estava fazendo um ensaio fotográfico de um casal quando chegou esse pescador jogando a tarrafa (tipo de rede de pesca) e eu fiz as fotos”, disse Celso Lobo.
O fotógrafo submeteu 10 imagens à curadoria, e destas quatro foram escolhidas. Além das fotografias de Santarém, para a exposição foram selecionadas imagens de uma casa de ribeirinhos na entrada do estreito de Breves, na região do Marajó, e do túnel de Mangueiras na Praça da República em Belém.
Terceira vez no Louvre
A estreia de Celso em exposição no Louvre ocorreu em 2016, com uma foto da Praia do Atalaia, em Salinas. Em 2017 ele também conseguiu que uma foto do Lago do Juá participasse da exposição.
Para o fotógrafo, ter o seu trabalho no berço da arte mundial é uma grande conquista. Ele percebeu que os europeus se encantam pelos assuntos da Amazônia, por isso as fotografias fazem sucesso no Louvre.
“Todas as fotos que eu já trouxe para cá, inclusive em 2016 outra pessoa do Rio de Janeiro trouxe uma foto da Amazônia, chamaram atenção. As pessoas param e querem saber como é a vida na Amazônia, principalmente quando veem as casas dos ribeirinhos. Elas ficam curiosos pelas informações”, ressaltou.
Sairé no Louvre
Os planos para 2019 já estão sendo traçados pelo fotógrafo. Ele quer levar fotos do tradicional Festival do Sairé para a exposição. A festa tem mais de 300 anos de tradição no oeste paraense e congrega rituais religiosos, danças, músicas, culinária e encenação da lenda do boto, em uma programação que tem a duração de cinco dias.
“Estou com intenção de fazer um trabalho autoral no Sairé, assim como no ano passado, e trazer desde a parte religiosa até a parte profana. Esse é meu projeto para 2019”, contou.
A exposição
O Art Shopping – Salon International D’Art Contemporain de Paris é realizado durante a semana de arte contemporânea de Paris. O evento é divulgado por toda a Europa e reúne pintura, fotografia, escultura, arte digital e streetart no carrossel do Louvre. A academia organiza exposições em países diferentes, levando artistas plásticos, escultores e fotógrafos.



Fonte/Fotos: Geovane Brito, G1 Santarém — Pará/Celso Lobo

IGARAPÉ DO JARARACA, EM JURUTI-PA

Foto: Emi Okada Pereira

A CAMINHO: REPRESENTANTE DE FARO EM BELÉM-PA RECEBEU ONTEM O VEÍCULO DESTINADO AO CONSELHO TUTELAR DO MUNICIPIO


Em nome da prefeita Jady Viana, a representante do município de Faro em Belém, Andressa Magalhães, recebeu ontem (18) das mãos do deputado federal Arnaldo Jordy, as chaves do veículo para uso do Conselho Tutelar do município. A solenidade de entrega ocorreu em Belém.
É de autoria do deputado Arnaldo Jordy a emenda que possibilitou a cessão do veículo, através da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda – SEASTER. Do kit fazem parte, também, 1 geladeira e 2 computadores.
O veículo, um automóvel marca Ford, modelo Ka, sedan, 4 portas, modelo 2019, será embarcado nos próximos dias, devendo estar em Faro ainda este mês. Esse veículo torna realidade um sonho dos membros do Conselho Tutelar.
A prefeita Jady Viana, por estar em trânsito, não pode comparecer à solenidade.
É assim que se faz!



#Prefeituramunicipaldefaro
#Cuidandodoqueenosso



Fonte/Fotos: z fioravante, ASCOM PM Faro-PA/Arquivo Ascom


quinta-feira, 18 de outubro de 2018

PARABÉNS A TODOS OS PROFISSIONAIS DA ÁREA !!!


"É TRISTE PENSAR QUE A NATUREZA FALA E QUE O GÊNERO HUMANO NÃO A OUVE"


"É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve", escreveu o autor francês Victor Hugo, no século 19. A Amazônia vem dando sinais de cansaço há algum tempo: as mudanças climáticas causam secas e inundações que a estão ferindo mortalmente.
"O resto do mundo pode morrer junto com a Amazônia", alerta Alessandra Munduruku (foto), uma das mais importantes lideranças indígenas do Brasil.
A maior floresta tropical do planeta pode entrar em colapso irreversível e se transformar num deserto caso perca 20% de sua área total. E a taxa de desmatamento cresceu mais 39% entre junho e setembro.
"A mãe natureza está sofrendo e mandando sinais", diz agora Alessandra, como havia falado antes Victor Hugo. E nós não estamos dando a devida atenção a eles. Essas eleições serão as mais decisivas de nossa história. Vamos ouvir o que diz o verde antes de apertar o verde?


INSTITUTO ALCOA INCENTIVA EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ESCOLAS DE JURUTI-PA


O Instituto Alcoa realizou a doação de materiais pedagógicos para as cinco escolas participantes do Programa ECOA – Educação Comunitária Ambiental em Juruti. O programa vem sendo desenvolvido em parceria com a Prefeitura Municipal de Juruti e a empresa Evoluir desde 2014.

O Programa ECOA incentiva a transformação da cultura escolar a partir de temas como aprendizagem social, formação de educadores, aprendizagem baseada em projetos e engajamento comunitário. Para o gerente geral da Alcoa Juruti, Brett Hodges, o ECOA vem contribuindo para ajudar a sociedade a pensar no seu futuro. “Criar consciência ambiental nas nossas crianças, nos dá a certeza de que teremos futuros cidadãos e profissionais com potencial para uma convivência ambientalmente responsável”, destacou.
O vice-presidente Global de Operações de Bauxita da Alcoa, Michael Gollschewski, que esteve recentemente em visita às operações da mina de bauxita de Juruti, entregou os materiais pedagógicos aos alunos e educadores da Escola Rosa de Saron.
A diretora da unidade escolar, Antonia Maria Rodrigues de Sousa, agradeceu pelos materiais recebidos: “o kit traz verdadeiras joias para nossa escola e vieram na hora certa”. Os materiais serão usados pelas 420 crianças, de 8 a 13 anos de idade, em atividades de leitura e produção textual. “Esses livros são muito importantes no processo de aprendizado dos nossos alunos. Com certeza serão muito úteis para incrementar nosso conteúdo”, disse a diretora, acrescentando que por meio desse incentivo à prática ambiental, a escola começou, em 2017, a produção de hortaliças e este ano vai incentivar o cultivo de plantas ornamentais no ambiente escolar.
Destacando a importância da água para o planeta, o kit contém um tabuleiro gigante onde os alunos podem participar de jogos que estimulam práticas da conservação ambiental. O kit também abrange 50 exemplares do livro “Heróis em Defesa da Água” e 14 bichinhos de pelúcia com elementos da fauna marítima. O mesmo kit foi entregue às escolas Batista e Nossa Senhora da Saúde (cidade), Getulio Vargas (Comunidade Castanhal) e Gregório Araújo (Comunidade São Pedro).
Rosângela Barbosa, educadora de campo do ECOA, explicou que através da Aprendizagem Baseada em Projetos o programa trabalha a educação da criança prezando a autonomia e o respeito aos indivíduos. “Crianças que antes manifestavam dificuldade no relacionamento com alunos e professores, agora se transformaram, demonstrando todo o seu potencial que a gente descobre e as incentiva a desenvolver”, observa. Em Juruti, o programa ECOA é desenvolvido em parceria com a Prefeitura Municipal.
Sobre o Instituto Alcoa
Fundado em 1990, no Brasil, o Instituto Alcoa é uma entidade sem fins lucrativos, que busca promover transformações positivas nas localidades onde a Alcoa está presente, fortalecendo as comunidades e contribuindo para uma sociedade mais justa e responsável. O Instituto Alcoa tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento sustentável local, atuando por meio do Programa de Apoio a Projetos Locais, Programas de Voluntariado, Projetos Estruturantes e Iniciativas Globais provenientes da Alcoa Foundation. Os temas considerados estratégicos para toda atuação do Instituto Alcoa são: educação; trabalho e renda; saúde; meio ambiente; governança e segurança.

Fonte/Foto: José Ibanês - Analista de Comunicação AMG/Alcoa

 

Blogroll

About